ArtigosCidades InteligentesComo a cidade inteligente vai melhorar a mobilidade?

https://ecoparking.io/wp-content/uploads/2021/06/cidades-inteligentes-melhorar-mobilidade-urbana.jpg

Que a Internet das Coisas está trazendo uma revolução tecnológica é o mínimo que você pode dizer. Os benefícios da IoT são infinitos e, conforme a tecnologia amadurece, os projetos passam da prova de conceito à implementação comercial. A tecnologia IoT será capaz de ajudar as frotas comerciais em particular desde ajudar a aproveitar as vantagens do planejamento inteligente de rotas até aumentar a eficiência da cadeia de suprimentos. Uma das maneiras pelas quais a tecnologia IoT pode ajudar a indústria automotiva é apoiando a construção e o desenvolvimento de cidades inteligentes.

Cidades Inteligentes

Cidades inteligentes utilizam dispositivos e sensores IoT para coletar e analisar informações. Essas percepções podem ajudar os administradores da cidade a melhorar a utilização de recursos, aumentar a eficiência, reduzir custos, melhorar o transporte público e, em geral, melhorar a qualidade de vida dos residentes. Existem duas tecnologias que impulsionam o desenvolvimento de cidades inteligentes. Em primeiro lugar, diz respeito à próxima geração de redes (5G). Isso garante uma enorme aceleração do tráfego de dados. Os dados podem ser coletados, processados e analisados em grandes quantidades e em um ritmo mais rápido do que nunca.

Em segundo lugar, existe uma ampla disponibilidade de sensores compactos e acessíveis. As cidades inteligentes são alimentadas por uma rede inteligente de sensores que coletam e transmitem dados. Isso também ajuda na coleta de dados e na geração de insights. Os sensores atuais são aproximadamente do tamanho de uma bola de hóquei (ou menores) e prevê-se que sejam tão pequenos quanto uma partícula de poeira em um futuro próximo, quase invisíveis ao olho humano.

Sensores colocados ao longo de nossas estradas e conectados a dispositivos como telefones celulares e rastreadores de atividade podem transmitir informações sobre o uso da rede viária. Para as frotas, isso em teoria vira o mundo de cabeça para baixo. Graças aos inúmeros dispositivos conectados, eles têm acesso a uma quantidade de dados sem precedentes que torna o trabalho dos motoristas mais fácil e eficiente.

O potencial para gestão de frotas de automóveis

Já existe tecnologia para monitorar aceleração, frenagem e outros comportamentos de direção. Imagine as possibilidades se pontos de dados extras de dispositivos IoT forem adicionados a isso. Para operadores de frotas comerciais, o monitoramento em tempo real oferece oportunidades para aumentar a segurança e a produtividade. Por exemplo, os sensores podem monitorar as condições da estrada em diferentes condições climáticas e emitir um aviso em tempo real. Por exemplo, os motoristas podem ser aconselhados a evitar seções da estrada com gelo preto ou outros perigos.

Outra opção é usar dados em tempo real para alertar os motoristas sobre congestionamentos rodoviários pesados e propor uma rota mais inteligente, o que ajuda a reduzir o tempo de viagem. Problemas para encontrar vagas de estacionamento também são coisa do passado, porque os sensores podem indicar exatamente onde há uma vaga disponível. E como não é mais necessário circular pelo centro da cidade, isso reduz o consumo de combustível e as emissões de escapamento.

Além disso, os municípios e autoridades competentes podem utilizar os dados para avaliar o estado das estradas e, assim, definir prioridades para a sua manutenção. Em combinação com o aprendizado de máquina, os dados também podem ajudar a ajustar as programações de semáforos, determinar limites de velocidade variáveis e abrir faixas de emergência.

Planejamento urbano inteligente em ação

Cidades ao redor do mundo já estão começando a trabalhar com essa estratégia de cidade inteligente. Em Barcelona, eles utilizam dados para melhorar as rotas dos ônibus da cidade e horários de partida, com base em dados precisos e em tempo real. Em Cingapura, eles deram um passo adiante: lá, eles usam dados de sensores IoT para melhorar o desempenho do transporte público, mas também para informar aos cidadãos quais garagens na cidade ainda têm vagas livres, qual é o nível de água atual e muito mais mais. Cingapura também é o local do Robocars, um dos primeiros testes públicos de carros autônomos de consumo.

Em San Mateo, nos Estados Unidos, eles têm uma abordagem de “região inteligente”. O projeto envolve várias cidades no Vale do Silício trabalhando juntas com o objetivo de compartilhar recursos de cidades inteligentes e resolver problemas juntos.

Esses são apenas alguns exemplos de como as cidades inteligentes ajudam os governos e planejadores a entender melhor como a infraestrutura urbana funciona e a tomar decisões mais inteligentes para o futuro. Uma boa infraestrutura combinada com um planejamento inteligente de rotas ajuda a tornar as cidades mais acessíveis aos veículos, o que significa que o fluxo de tráfego melhora e os motoristas passam menos tempo presos no trânsito.

IoT requer MRM

Como as empresas podem aproveitar todas essas novas informações fornecidas pelas cidades inteligentes? Tradicionalmente, os órgãos públicos funcionam mais ou menos independentemente uns dos outros. Este não é um modelo viável em um ambiente de cidade inteligente. As empresas precisam de uma plataforma de software comum que forneça acesso a todas essas informações diversas.

É aí que o Mobile Resource Management (MRM) se torna útil. MRM é a tecnologia que ajuda os gerentes de frota e diretores operacionais a conectar todos os pontos de dados. Combina a telemática tradicional e o rastreamento por GPS com a otimização de rotas, com o objetivo de conectar o front e o back end de uma organização – ajudando as empresas a aumentar a eficiência de suas operações. Ao navegar pelas novas cidades inteligentes com MRM, os gerentes de frota podem estimular e melhorar o comportamento de direção segura, trabalhar com mais eficiência e, assim, aumentar a produtividade.

A tecnologia da cidade inteligente, portanto, funciona nos dois sentidos. Por um lado, ajuda a melhorar o fluxo do tráfego e torna as cidades mais acessíveis aos veículos, reduzindo o tempo que os motoristas ficam presos no trânsito. E, por outro lado, isso – em combinação com o MRM – contribui para a obtenção de resultados positivos para os clientes e suas organizações.

Por Lenildo Morais, professor dos cursos de Tecnologia da Informação da UNINASSAU

Fonte: Leia Já



Gostou desta informação? Talvez você aprecie uma leitura sobre O que é a Política Nacional de Mobilidade Urbana?

Se você gostou do nosso conteúdo e quer saber mais sobre Cidades Inteligentes, Mobilidade Urbana, Trânsito, Meio Ambiente e Transporte acompanhe o Ecoparking. Estamos muito satisfeitos em te ver por aqui!

Se cuida!

PAYPARKING MOBILIDADE URBANA LTDA | CNPJ 18.203.788/0001-07 | AV FERNANDO FERRARI 1080, SALA 503 TORRE NORTE, MATA DA PRAIA - VITÓRIA/ES